Como Reciclar?

Dezembro 5, 2010

  • Para reciclar as embalagens usadas, é necessário entender que os materiais se podem separar em famílias.

  • Separar os resíduos e as embalagens usadas respeitando o tipo de material em que são feitos, contribui para permitir que todo o processo de reciclagem seja feito da maneira mais correcta.

    Como separar

  • Quase tudo, em matéria de embalagens, pode ser reciclado: o plástico, o metal, o papel/cartão, o vidro e também a madeira.

  • O primeiro passo é separar as embalagens usadas por tipo de material e prepará-las para a sua colocação em ecopontos ou ecocentros.

  • Depois de utilizadas, é necessário escorrer e enxaguar as embalagens usadas, para que os restos dos produtos que estavam no seu interior não provoquem maus cheiros enquanto as guardamos em casa.

  • Depois, e sempre que possível, devem espalmar-se as embalagens para reduzir o espaço que ocupam em casa e tornar mais fáceis as idas ao ecoponto.

  • Por último, é importante retirar as rolhas e as tampas sempre que são feitas de outros materiais, diferentes da embalagem em si.

    Depois é só colocar as embalagens nos sítios apropriados:

    – o plástico e metal no ecoponto amarelo;
    – o papel e o cartão no ecoponto azul e
    – o vidro no ecoponto verde.

    As embalagens de madeira, por se tratarem de embalagens menos frequentes, apenas podem ser depositadas nos ecocentros.



     

    • Como organizar-se em casa

    • Cada família sabe melhor do que ninguém como prefere orientar o espaço e a arrumação em sua casa.

    • Mas não se pense que a única maneira de separar as embalagens usadas e de participar na reciclagem é ter três, ou mesmo quatro, caixotes do lixo diferentes.

    • Pode-se, por exemplo, utilizar um caixote para os resíduos orgânicos e outro para tudo o que é embalagem, separando depois os resíduos junto do ecoponto.

    • Outra alternativa será comprar um caixote com três divisórias, já disponível no mercado, e que torna a tarefa mais simples. Estes caixotes não são assim tão grandes e já se encontram a preços acessíveis.

    • Por último, é preciso pôr a imaginação a trabalhar, por que não construir um ecoponto de caixas de cartão? É uma actividade que pode divertir e ajudar na tarefa de separar.

      Separar em quatro passos

    • Existem alguns passos básicos que se deve seguir de forma a tornar o processo de reciclagem mais eficiente:

      1. Escorrer e despejar todo o conteúdo das embalagens.

      2. Quando possível, espalmá-las para ocuparem menos espaço em casa, facilitar o seu transporte e diminuir o número de deslocações ao ecoponto.

      3. Para evitar maus cheiros pode-se passar por água algumas embalagens.

      4. O saco que se usou para transportar as embalagens usadas também pode ser depositado no ecoponto.

  • Reciclar é, para os cidadãos de hoje, mais do que uma atitude de cidadania e um bom hábito, significa que estamos a proteger o ambiente e a pensar num futuro com qualidade.

  • Valorizar, reciclar e reutilizar os materiais é também uma atitude responsável, utilizando um ciclo de renovação e aproveitamento que protege e preserva o Ambiente – a casa de todos nós.

  • Reciclar embalagens usadas tem as seguintes vantagens ambientais e económicas:

    • Poupar matérias-primas
      Pensemos em madeira, areia, petróleo, estanho e alumínio. São algumas das matérias-primas que servem de base ao fabrico de materiais, a partir dos quais se faz a maioria das embalagens.

      É um bom exemplo da importância da reciclagem das embalagens usadas, que se transformam em matérias-primas secundárias provenientes da recolha selectiva: se os resíduos destas embalagens tiverem mais do que uma vida, estamos a poupar matérias-primas virgens.

    • Economizar energia
      Fabricar materiais a partir de resíduos consome menos energia do que fabricá-los a partir de matérias virgens.

      Muitos dos recursos energéticos que se poupam são fontes de energia não renováveis, como é o caso do petróleo.

    • Reduzir a quantidade de resíduos nos aterros sanitários
      Quanto menos resíduos tiverem como destino final um aterro sanitário, mais anos de vida útil este terá.

      Se todos contribuirmos, aumentamos a esperança de vida dos aterros sanitários, evitando desperdiçar recursos na construção de novos equipamentos destes.

      Assim, só deverão ser depositados em aterro os resíduos que não podem ser valorizados.
      É por isso que a participação, de todos nós, na recolha selectiva é fundamental.

  •