Alimentos bons para o cérebro

Fevereiro 18, 2012

Alguns causam certa exaustão mental, irritação ou dor de cabeça, como o açúcar e outros refinados, queijo envelhecido, carnes, nitritos do cachorro quente, gordura trans e glutamato monossódico.

Entretanto, tem os que auxiliam na formação e manutenção dos neurônios, nas conexões cerebrais e na capacidade de estar alerta ou tranqüilo.
Apesar de responsável por apenas 2% do peso de uma pessoa, o cérebro humano necessita de aproximadamente 30% das calorias ingeridas ao dia para funcionar bem.

Alimentos com carboidratos, ácido fólico, zinco, magnésio, ferro e vitaminas do complexo B (em especial a B12), são essenciais para sua constituição.

A falta de gordura benéfica (ômega 3 e vitamina E) na alimentação também torna sua capacidade um tanto prejudicada.

Carente, pode desencadear desde dislexias até esquecimentos, dificuldades de concentração, sonolência, problemas na produção de hormônios, hiperatividade, convulsões ou espasmos (em casos especiais), além de distúrbios emocionais como depressão, irritação ou apatia.

Acrescente na lista:

„ Sementes de linhaça, azeite de oliva, gergelim, aveia, quinoa, amaranto, brócolis, tâmaras, nozes, arroz integral, castanhas, batata doce, banana, cenoura, mandioquinha, , bardana, gengibre, uva passa, abacate, folhas escuras.

Fonte:

Guia de Alimentação infantil – com dicas de cuidados para crianças especiais , 2003. Groun Ed. Guimarães, N.

 

 

Este texto foi extraido do Blog: BLOG ALIMENTAÇÃO E SAÚDE INFANTIL

Gestação Vegetariana

Fevereiro 15, 2012

Do site Babysec | Muitas mamães devem estar se perguntando se o regime de alimentação sem carne ou alimentos de origem animal é adequado a uma gestação de qualidade. A resposta é sim, desde que a dieta seja segura e que a mamãe não descuide dos suplementos alimentares. As informações são do site bebe.com.br, da editora Abril.

A gravidez sempre impõe muitas mudanças para as mamães e na alimentação não poderia ser diferente. Algumas necessidades precisam ser supridas, e o auxílio de um profissional em nutrição é indispensável. Também, deve-se seguir as receitas indicadas pelo nutricionista, já que as mulheres podem apresentar carências em certos nutrientes, tanto pela alimentação deficiente quanto pela absorção inadequada.

É importante deixar claro que o vegetarianismo não é prejudicial à saúde, e que a prática possui aval de entidades como a ADA (American Dietetic Association). Segundo estudos, não há diferenças consideráveis entre filhos de mamães vegetarianas e de outras que consomem alimentos de origem animal. Na verdade, as gestantes vegetarianas saem na frente das demais, já que a dieta possui baixo colesterol, diminuindo a ocorrência de doenças cardiovasculares, diabetes do tipo 2 e hipertensão. Também, as vegetarianas possuem alto índice de ácido fólico, que é de extrema importância para a saúde e formação do bebê. Contudo, isso não as ausenta da necessidade de tomar suplementos durante a gestação.

Na verdade, as gestantes vegetarianas saem na frente das demais, já que a dieta possui baixo colesterol, diminuindo a ocorrência de doenças cardiovasculares, diabetes do tipo 2 e hipertensão.

Apesar de ser mais saudável, a dieta vegetariana deve manter as mamães em alerta quanto ao aumento de peso. Por ter grande quantidade de carboidratos, uma dica é substituir os biscoitos, pão, macarrão… pelas suas versões integrais, que aumentam a sensação de saciedade e estimulam o intestino. Também, deve-se cuidar do açúcar, com a mesma preocupação.

Se você é vegetariana, fique tranquila: siga atentamente as indicações do seu nutricionista e não deixe de tomar os suplementos. Na gestação, tudo deve estar muito bem planejado, para o seu bebê nascer e crescer forte e saudável!

 

via ViSta-se