Uma Pequena Grande VITÓRIA!

Setembro 18, 2015

@Alimentação_Escola

Lindo testemunho de uma Mãe Orgulhosa! E que orgulho temos quando se consegue, mesmo o que para a maioria é pouco, para nós é um Grande passo! ❤
Obrigada Elisabete por nunca desistir! Um exemplo de que ser persistente compensa! 😀
«VITÓRIA!
Hoje quero partilhar com todos vocês a minha pequena (GRANDE!!!) vitória!
Depois de um ano, de verdadeiro braço de ferro, com a directora do colégio da minha filha, de ser motivo de chacota, acusada de extremista, criticada por outros pais, consegui pela 1ª vez,que todas as suas refeições, incluindo os lanches, as pequenas visitas de estudo e até nas comemorações de aniversário feitas no colégio,o seu direito de ser vegan fosse respeitado!

… embora não seja um grande feito, seja mais uma vitória pessoal, principalmente para a “Francisca” que passa a ter uma vida melhor e aprender que não devemos calar!
Tendo em conta que se trata de um colégio privado, ‘João de Deus’, bastante conservador e que não deixa nem levar bolachas de casa, sobretudo porque não apresentei a declaração médica com restrições alimentares,mas apenas a declaração da médica assistente da médica de família, na qual mencionava que a Francisca fazia uma “dieta” vegan POR OPÇÃO apresentando um desenvolvimento comum ao de qualquer outra criança da sua idade.
Tive que negociar … a minha filha, na escola, passa a comer apenas algumas sopas, algumas saladas, fruta ou salada de fruta, pipocas porque apenas têm milho(são feitas lá na hora, de vez em quando), leites, iogurtes, bolachas, cremes para barrar, algumas sopas e saladas, bem como o prato principal, vão de casa!
E nas visitas de estudo e eventos culinários que visitam, levam do colégio o lanche dela… mais alguns detalhes, como visitas a locais onde são explorados animais ou distribuição de produtos, quando certas marcas vão fazer visitas ao colégio para promover produtos… e nada de rebuçadinhos e outros “mimos” envenenados, levados pelos outros pais aquando dos aniversários dos outros meninos… bem, é um recomeço!

Nunca desisti… por ela, pelo direito à diferença, por uma vida mais digna para todos os seres sencientes… por um futuro em harmonia!
Que esta nova geração seja o recomeço!»

Anúncios

SALA-AULA

Temos encontrado muitos pais preocupados cada vez mais com a qualidade dos métodos pedagógicos e com a alimentação vegetariana para os seus filhos, nas escolas. As escolas não dão resposta a individualização que cada criança precisa, especialmente em tenra idade. Os valores familiares estão a perder-se, o respeito pela sociedade e natureza esta a desvanecer, e vemos cada vez mais casos de crianças e adolescentes perdidos e entregues a escolas com métodos pedagógicos antiquados e desadequados ao desenvolvimento harmonioso e integral da criança.

Damos uma pequena ajuda e decidimos reunir uma lista de escolas vegetarianas e com métodos pedagógicos alternativos em Lisboa e arredores.

Jardim do Monte – Jardim de infância e 1º ciclo
(pedagogia Waldorf)
HARPA – Associação Recriar para Aprender
Quinta S. João dos Montes
2600 Alhandra
Tel. 21 951 20 92
mailto:harpa_portugal@yahoo.com
http://www.harpa-portugal.com/

Casa Verdes Anos – jardim de infância e 1º ciclo
(pedagogia Waldorf, movimento da escola moderna e educação para os valores)
Sítio do Barcal, n.º 9, Monsanto
1500-554 Lisboa
tel:91 233 60 43
casaverdesanos@gmail.com

Jardim Infância São Jorge – Creche e Jardim de Infância
(pedagogia Waldorf)
Estrada Alfragide
Casa Vestefália- Alfragide
2720 AMADORA
Tel: 214 711 920
http://www.jardimdeinfanciawaldorf.com/

Jardim de Infancia VelaVerde – Creche e Jardim de Infância
R. da imprensa, nº 20 Alfragide
tel: 214713228
http://www.velaverde.org/

Escola Waldorf de Sintra
(pedagogia Waldof)
waldorfsintra@gmail.com
tel: 91 791 08 61 (Rita Seixas)
http://waldorfsintra.files.wordpress.com/2008/06/escola.pdf

Pé de Romã – jardim de infância
(pedagogia Waldorf)
Quinta da União,
Estrada das Labruscas, 55
Ribeira de Sintra
Tel: 938795380 e 964143222

Jardim Infância Viva-Associação Jardim de Infância Internacional
(pedagogia Waldorf)
Lagos – Barão de São João
Monte Judeu
8600-020 BARÃO DE SÃO JOÃO
tel: 282 761 786

Quinta Artosas
Apartado 72
7050 MONTEMOR O NOVO
tel 266890548
http://anjaliteam.blogspot.pt/2009/09/escolas-alternativas-e-vegetarianas.html

Como Reciclar?

Dezembro 5, 2010

  • Para reciclar as embalagens usadas, é necessário entender que os materiais se podem separar em famílias.

  • Separar os resíduos e as embalagens usadas respeitando o tipo de material em que são feitos, contribui para permitir que todo o processo de reciclagem seja feito da maneira mais correcta.

    Como separar

  • Quase tudo, em matéria de embalagens, pode ser reciclado: o plástico, o metal, o papel/cartão, o vidro e também a madeira.

  • O primeiro passo é separar as embalagens usadas por tipo de material e prepará-las para a sua colocação em ecopontos ou ecocentros.

  • Depois de utilizadas, é necessário escorrer e enxaguar as embalagens usadas, para que os restos dos produtos que estavam no seu interior não provoquem maus cheiros enquanto as guardamos em casa.

  • Depois, e sempre que possível, devem espalmar-se as embalagens para reduzir o espaço que ocupam em casa e tornar mais fáceis as idas ao ecoponto.

  • Por último, é importante retirar as rolhas e as tampas sempre que são feitas de outros materiais, diferentes da embalagem em si.

    Depois é só colocar as embalagens nos sítios apropriados:

    – o plástico e metal no ecoponto amarelo;
    – o papel e o cartão no ecoponto azul e
    – o vidro no ecoponto verde.

    As embalagens de madeira, por se tratarem de embalagens menos frequentes, apenas podem ser depositadas nos ecocentros.



     

    • Como organizar-se em casa

    • Cada família sabe melhor do que ninguém como prefere orientar o espaço e a arrumação em sua casa.

    • Mas não se pense que a única maneira de separar as embalagens usadas e de participar na reciclagem é ter três, ou mesmo quatro, caixotes do lixo diferentes.

    • Pode-se, por exemplo, utilizar um caixote para os resíduos orgânicos e outro para tudo o que é embalagem, separando depois os resíduos junto do ecoponto.

    • Outra alternativa será comprar um caixote com três divisórias, já disponível no mercado, e que torna a tarefa mais simples. Estes caixotes não são assim tão grandes e já se encontram a preços acessíveis.

    • Por último, é preciso pôr a imaginação a trabalhar, por que não construir um ecoponto de caixas de cartão? É uma actividade que pode divertir e ajudar na tarefa de separar.

      Separar em quatro passos

    • Existem alguns passos básicos que se deve seguir de forma a tornar o processo de reciclagem mais eficiente:

      1. Escorrer e despejar todo o conteúdo das embalagens.

      2. Quando possível, espalmá-las para ocuparem menos espaço em casa, facilitar o seu transporte e diminuir o número de deslocações ao ecoponto.

      3. Para evitar maus cheiros pode-se passar por água algumas embalagens.

      4. O saco que se usou para transportar as embalagens usadas também pode ser depositado no ecoponto.

  • Reciclar é, para os cidadãos de hoje, mais do que uma atitude de cidadania e um bom hábito, significa que estamos a proteger o ambiente e a pensar num futuro com qualidade.

  • Valorizar, reciclar e reutilizar os materiais é também uma atitude responsável, utilizando um ciclo de renovação e aproveitamento que protege e preserva o Ambiente – a casa de todos nós.

  • Reciclar embalagens usadas tem as seguintes vantagens ambientais e económicas:

    • Poupar matérias-primas
      Pensemos em madeira, areia, petróleo, estanho e alumínio. São algumas das matérias-primas que servem de base ao fabrico de materiais, a partir dos quais se faz a maioria das embalagens.

      É um bom exemplo da importância da reciclagem das embalagens usadas, que se transformam em matérias-primas secundárias provenientes da recolha selectiva: se os resíduos destas embalagens tiverem mais do que uma vida, estamos a poupar matérias-primas virgens.

    • Economizar energia
      Fabricar materiais a partir de resíduos consome menos energia do que fabricá-los a partir de matérias virgens.

      Muitos dos recursos energéticos que se poupam são fontes de energia não renováveis, como é o caso do petróleo.

    • Reduzir a quantidade de resíduos nos aterros sanitários
      Quanto menos resíduos tiverem como destino final um aterro sanitário, mais anos de vida útil este terá.

      Se todos contribuirmos, aumentamos a esperança de vida dos aterros sanitários, evitando desperdiçar recursos na construção de novos equipamentos destes.

      Assim, só deverão ser depositados em aterro os resíduos que não podem ser valorizados.
      É por isso que a participação, de todos nós, na recolha selectiva é fundamental.

  •  

    Cadastro de escolas

    Junho 16, 2010

    O Instituto Nina Rosa é uma ONG voltada à Educação de Valores, cujo trabalho tem como base fundamental o respeito e a ética para com os animais e, como consequência, a ampliação da consciência humana.

    Ensino Fundamental

    O Instituto não recolhe animais e nem mantém abrigo. Desenvolve desde 2000 material pedagógico usado hoje amplamente pelas escolas da rede Municipal e Estadual de Ensino.

    DVDs:

    Ensino Médio e Superior

    DVDs:

    Livros:

    A Educação de Valores inclui compaixão e ética, preparando o ser para uma vida mais integral, pacífica e solidária. Ao mesmo tempo beneficia diretamente os animais, cujos direitos passam a ser conhecidos, com encorajamento do respeito e do sentido de responsabilidade que lhes são devidos.

    O afeto que os animais inspiram, quando incentivado, pode despertar no indivíduo sentimentos de amor, zelo e positiva auto-estima.
    Entende-se que a inclusão do tema dos animais no currículo escolar estimula o desenvolvimento moral, espiritual e pessoal de cada criança, traz benefícios à comunidade escolar e aumenta as oportunidades de aprendizagem em diferentes áreas do currículo. (IAHAIO/2001)

    A educação de valores é uma das principais ferramentas para reverter a brutal realidade dos animais no planeta. É a forma sensibilizante, amorosa, de contribuir para transformar humanos em seres mais humanos. Deve-se iniciar em tenra idade, por meio do exemplo e depois continuar no ensino formal, inspirando, apoiando e valorizando sentimentos de compaixão, ética e solidariedade.

    Estudos do FBI mostram que a violência contra animais funciona como um “primeiro degrau” para futuras violências contra humanos. Quase todos os assassinos em série (serial killers) têm em sua história a prática de maus-tratos a animais.

    Segundo pesquisas, a violência cometida contra animais quando feita ou mesmo assistida por crianças tem consequências psicológicas trágicas, marcando-as por toda a vida.

    Gostaríamos de apresentar nosso material pedagógico, pois acreditamos que, dessa forma, poderemos colaborar para uma sociedade mais justa e pacífica.

    Para saber mais sobre nosso trabalho, assista ao vídeo institucional em http://br.youtube.com/watch?v=RgDU-iZhNZA.

    Clique aqui, preencha e envie o formulário com dados para que possamos contatá-los.